Você só dá o que tem

Antes de falar como a Escola de Você entrou na minha vida, preciso contar algumas coisinhas. Sempre me considerei do tipo de pessoa que gosta de ajudar os outros. Se alguém precisasse de ajuda, era só me chamar que parava tudo e ia. Mesmo que não tivesse tempo, mesmo que tivesse que deixar coisas minhas para depois. Na infância e adolescência passava cola nas provas, falava para um colega que tinha uma amiga que gostava dele (mesmo que eu gostasse dele também), enfim, coisas desse tipo. Até, um dia, em que numa roda de amigas, uma delas perguntou para sua amiga: “Cláudia, que horas são?” E, ao ver que ela não respondia, eu disse as horas. E a resposta que ouvi foi: “Você se chama Cláudia também?”. E eu fiquei calada, pensando o que poderia ter respondido.

Depois que me mudei para estudar em Curitiba, isso continuava acontecendo. Enfim, estudei, me formei, namorei, casei, mas o filho não veio. E o sucesso profissional também não veio. E durante 6 anos parece que fiquei com “um pé em cada canoa”: fiz exames para saber porquê não engravidava, trabalhei em agências de publicidade e design, até perceber que gostava de trabalhar por minha conta. Talvez pela flexibilidade de horários (vá que alguém precisasse da minha ajuda ou que eu engravidasse). Até que em 2012 pensei: chega, vou tratar de trabalhar e fazer as coisas que gosto, e ano que vem cuido de engravidar – pensando talvez em uma fertilização in vitro. E assim foi, até viajei para o exterior para realizar um sonho. No começo de 2013 aluguei uma sala comercial com minha irmã, me matriculei em um novo curso e DESCOBRI QUE ESTAVA GRÁVIDA!!

baby-256857_640

Que alegria! Que susto! Não pensava mais que iria acontecer naturalmente. Como esperei por tanto tempo, pisei no freio e fiz de tudo para ter uma gravidez tranquila. Quando o Miguel nasceu, de cesárea, e o vi na mão da médica, parecia mágica! Mesmo tendo curtido ele os 9 meses na minha barriga, parecia que ele tinha aparecido ali do nada! Eu não sabia, mas já estava desenvolvendo um tipo de depressão pós-parto. Chegando em casa eu queria mais pegar minha gatinha no colo do que meu filho. Mas, como assim? Não lutei tanto para ser mãe? Esperei tanto por aquele momento. Não conseguia entender porquê não estava feliz e satisfeita com aquele bebezinho lindo! E parecia que ele sentia isso. Não dormia direito e chorava muito. Ele chorava de um lado e eu do outro, sem conseguir dormir também, me sentindo culpada.

Quando o Miguel já estava com quase 1 ano, vi um post de uma amiga em uma rede social, falando da Escola de Você. Um curso online, gratuito, focado na autoestima da mulher e com a Ana Paula Padrão? Não pensei duas vezes, fiz minha inscrição e me apaixonei logo no início das aulas. Foi lá que me dei conta de que sempre dei mais do que tinha, por isso nunca estava satisfeita comigo mesma. E, quando o Miguel chegou, inconscientemente me senti desesperada, pois como poderia cuidar daquele serzinho tão indefeso se não confiava em mim mesma? E foi com a Escola de Você, com os dois minutos mágicos da Natália Leite, que voltei a me amar novamente. Fui aprendendo que posso continuar ajudando, mas tenho primeiro que ME ajudar, que estar bem e feliz.

O Miguel está com 3 anos e me orgulho muito de ter sido uma das primeiras alunas da Escola de Você, de ter ido para São Paulo no Curso de Liderança e de ter conhecido tantas mulheres maravilhosas (online e presencialmente) ao longo destes anos. Estou recomeçando minha carreira, pelo fato de ter escolhido colocar meu filho na escola apenas no ano passado e somente meio período. Estou batalhando, não me arrependo, pois sei que meu sucesso profissional está chegando e estou aproveitando cada minuto da vida do meu menininho tão amado.

Cada vez que dou uma escorregada e esqueço de mim, duas frases vêm na minha cabeça:

“Você também se chama Cláudia?”

“Você só pode dar o que você tem!”

De alguma forma, estas frases trazem de volta minha essência e retomo minhas forças! E, se ainda precisar de um estímulo, é só colocar a música de introdução dos vídeos da Escola de você. Aí me sinto em casa!

Aproveite também e assista uma aula de demonstração sobre foco. Em breve, nosso portal com os cursos estarão no ar com muitas novidades para você. Continue nos acompanhando aqui no blog.

Christie Giovannetti

Embaixadora
Curitiba-PR

Escolete

Eu sou uma aluna da Escola de Você com muito orgulho <3
Você sabia? A Escola de Você traz dicas e cursos online para promover seu autoconhecimento e a autonomia feminina.

10 Comentários


  1. Que orgulho, um lindo exemplo, estou voltando para casa estava em Joinville e estou passando por Curitiba e me deparei com sua história, continue assim!

    Responder

  2. Nossa! Que momento lindo de descoberta e percepção, muito legal mesmo, obrigada por compartilhar um momento tão pessoal, tamos juntas, somos Escola de Você!

    Responder

  3. Texto inspirador. Gratidão por comentar algo que algumas mulheres também passam.

    Responder

  4. Certamente vc tem muita coisa boa para dar, querida Christie!!!
    Lindo texto! Obrigada por compertilhar..

    Responder

  5. Que linda história!
    Acredito que quando cuidamos da gente, nos cultivamos mais e assim teremos muito mais para dar!
    E o Miguel veio na hora certa: trazendo vc mesma de presente pra vc! 😉
    Obrigada por compartilhar sua história!
    #juntassomosmais

    Responder

  6. Nossa!! Chistie, que bom você ter compartilhado isso, é o que dazemos o tempo inteiro, se não nos vigiarmos, dar o que não temos, por que assim fomos ensinados, mos doarmos sem antes estar sarTisfeitos consigo. Só a pouco tempo, vomecei a compreender, não preciso queree ragradar o tempo todo, só preciso estar bem, entãoo meu bem estar refletirar naturalmente. Parabéns.

    Responder

  7. Que reflexão incrível, Christie! Obrigada por compartilhar com nós suas experiências! Realmente é da nossa melhor versão que nasce o melhor de nós para ser doado ao outro. Um beijo!

    Responder

Deixe uma resposta