Só aprende…

Olá escoletes! Que prazer poder trocar com vocês! É dividindo que se soma!
Então! Só aprende…

O que colocamos em prática, o que fazemos uso, o que aplicamos na vida. A conta só fecha desta forma.
Quero dividir com vocês algo que me aconteceu e talvez possa estar acontecendo com algumas vocês também.
A síndrome de querer saber, saber e saber…

Procurar saber não tem nada de errado, mas conhecimento que não é colocado em prática acaba invadindo espaços em nós, obtemos conhecimento em excessos (sem prática) e isso não faz bem.

Depois que fiz a EDV, algumas fichas caíram, algumas portas e janelas foram abertas, minha ânsia por querer saber mais e mais aflorou só que, a prática não caminhou junto e esse foi um grande problema no meu caso.

Acabei pesada de tanto aprender, aprender que depois não consegui mais sair do lugar, empaquei literalmente.
Isso tudo aconteceu de forma sorrateira, de mãos dadas com o digital caminhei rumo a cursos, palestras. Estava eu ligada no youtube que tem tudo o que se possa imaginar em matéria de qualquer assunto, assim começou a minha empolgação, além da EDV, assisti há vídeos de aprimoramento pessoal, organização, empreendedorismo, anotava tudo, ouvia falar de alguém fantástico, opa! Meu alarme ligava! Corria assistia aos vídeos, atenta as dicas de livros, comprava e assim seguia o baile.

O pior que não para, né?

Todo dia tem coisa nova pra aprender, os cadernos já cheios de lições, dicas, passo a passo, onde começar com o que, assim eu seguia com mais cadernos e cadernos de anotações. Afinal não podia perder nada!

Comecei a ficar muito ansiosa por aprender, não podia perder nada, já que havia perdido tanto tempo, então agora o tempo se fazia urgente, tenho que aprender tudo o que não aprendi. Esse era meu pensamento. Essa síndrome me acompanhou até o dia que me perguntei:

Tá guria, tu tá aprendendo e aprendendo, já sabe bastante sobre muitos assuntos, mas… Aonde, em que local está aplicando esse conhecimento todo?
A Naty fala tanto disso né? Pois é!

Uma coisa é ouvir e outra é entender como tudo acontece. Claro que algumas coisas eu ia colocando em prática, mas o volume era muito grande para praticar tudo ao mesmo tempo.

Olhei para o meu local de estudo e vi tantos cadernos e muitos deles não consegui nem folhear ainda. Quando a louca por caderno apareceu comecei a perceber que alguma coisa estava errada.

No final de 2016 fiz uma profunda reflexão e percebi onde estava me sabotando, agora de outra forma, mas estava me sabotando, novamente.
Oh meu Deus!
Eu não tinha foco, queria aprender tudo para colocar em prática depois, e depois? Apareciam mais coisas legais pra aprender. Sentiu a bola de neve em que entrei? Só que como ia dizendo no final de 2016, tudo isso ficou claro para mim e percebi o que estava acontecendo, no que precisava ter um olhar mais atento.

Parei e pensei!

Nunca vou aprender tudo! Paula tu não precisa aprender tudo!
Preciso aprender o que posso colocar em prática hoje. Depois de colocar em prática, parto para mais conhecimento.

Partindo desse principio, 2017 foi o ano do aprendendo a colocar em prática, retomei minhas anotações, analisei minha vida, tracei metas, fiz projetos e comecei a ler e aprender como colocar em prática esses projetos em minha vida. Realizei muitas coisas e quando aprendemos a colocar em prática o desenvolvimento flui consideravelmente, é um passo após o outro , aprender o próximo passo tem que ser o colocar em prática, para depois o passo do aprender.

Outra coisa também é saber trabalhar em parceria, não podemos fazer tudo de tudo, (essa sou bem eu, quero fazer mais do que posso) porque nem sempre podemos pagar, mas não se aflija sempre há solução pra tudo, então o jeito é fazer trocas, talvez à outra pessoa precise daquilo que você sabe fazer em contra partida você precisa de algo que essa pessoa faz, nessa troca vamos auxiliando uma a outra e caminhando no fazer, no colocar em prática o que se aprende.

Uma coisa é anotar projetos, mas outra coisa é vê-los na prática, não tem sensação melhor!
Só se aprende o que colocamos em prática, digo mais, o que colocamos em prática é o degrau da escada que temos que subir, para não emperrar.

Fica a dica: aprenda, depois pratique e só então busque aprender novamente.

Aquele carinhoso abraço de quebrar as costelas! Até mais!

Paula Brisotto, esposa, mãe, embaixadora da Escola de Você, microempreendedora individual da área de moda, artesã e escritora/ idealizadora do blog Aprendidavida, blog que nasceu do desejo de dividir para somar minhas experiências como mãe, esposa e também como nova mulher em busca sempre. Não é um manual de como fazer isso ou aquilo, mas sim um alerta dos meus erros e acertos em todas as áreas de minha vida. Sabe esse desejo de querer auxiliar? Pois é, é esse desejo que existe no blog Aprendidavida Falo de coração para coração e desejo ardentemente apenas auxiliar para que você não tropece nas mesmas pedras que tropecei.

Escolete

Eu sou uma aluna da Escola de Você com muito orgulho <3
Você sabia? A Escola de Você traz dicas e cursos online para promover seu autoconhecimento e a autonomia feminina.

3 Comentários

  1. Roberta Alves Santos

    Que texto ótimo Paula!
    Vou tentar lembrar sempre dessas palavras:
    “…Uma coisa é anotar projetos, mas outra coisa é vê-los na prática, não tem sensação melhor!
    Só se aprende o que colocamos em prática, digo mais, o que colocamos em prática é o degrau da escada que temos que subir, para não emperrar….”

    Mesmo sabendo que colocar em prática o que planejamos é um desafio é muito bom observar a nossa capacidade de ação.
    Um abraço para vocês.

    Responder
  2. Taís Pagnussat

    Paula,

    Me identifiquei com teu relato. Agora só passo para a leitura do próximo livro depois de ter posto em prática o que aprendi.

    Abraço

    Responder

Deixe uma resposta