Pequenos gestos

Olá amigas escoletes, aqui um sol maravilhoso e a vontade de dividir para somar só aumenta.

Conhece aquela história que de grão em grão a galinha enche o papo? Eu acredito nisso, acredito que de pequenos em pequenos gestos modificamos nossa vida, nosso relacionamento, nossa profissão, nosso próprio amor em consequência o amor pelo mais próximo.

Pequenos gestos fazem a diferença na vida de qualquer pessoa. Pequenos gestos levam o outro a nos olhar de forma diferente.

Sei do que falo, tenho alguns relatos de minha vida para dividir com vocês e espero que lhes inspire a tomar pequenas atitudes em sua vida. Quando olhamos o todo parece que a meta torna-se muito grandiosa, que é difícil alcançar, mas pensar em pequenos gestos já nos coloca mais próximos de onde queremos.

Sempre fui de estudar muito e sou muito curiosa, mas isso vocês já sabem né! Procuro não perder oportunidade de aprender e, na escola do meu filho o CPM (círculo de pais e mestres) promoveu um curso para pais, convenci meu marido e lá fomos nós, amei o curso, ele também me fez chorar muito, reconheci na fala do palestrante alguns erros que cometia na minha ignorância, mas o fato é que os cometia e quem é mãe sabe como dói perceber que se está tomando atitudes erradas para solucionar problemas pequenos que podem se transformar e se agigantar.

O consultor em educação Keivan Saberin ,da empresa Anima Mundi, me fez observar muitas coisas, em pequenos gestos poderemos modificar atitudes antes insustentáveis. Coloquei aqui o nome do consultor e a empresa, pois eles fazem um trabalho de paz na família, algo maravilhoso, que divido para somar com vocês. Então observei minhas atitudes e resolvi fazer pequenos gestos, meu filho tinha um problema em acordar no horário, todo dia era uma briga. Começar todas as manhãs com briga era horrível para todos. Conversava com meu filho e ele parecia entender melhorava um dia e no outro já se atrasava, o pai se irritava, na verdade todos se irritavam. Tudo isso me deixava muito mal.

Depois do curso, mudei minha atitude, comecei com um pequeno gesto, ao deitar o beijava e lembrava-o do horário do dia seguinte, no dia seguinte entrava no quarto, acariciava seus cabelos, o beijava e falava bem baixinho, filhinho está na hora e só então ligava a luz do abajur.  Antes nós avisamos a noite que no dia seguinte ele não poderia atrasar, levantava e abria a porta do quarto e dizia carinhosamente:

Filho tá na hora.

Passado alguns minutos…

Filho olha a hora vai te atrasar!

Quase atrasando.

Filho olha só! Tu não cuidas!  De novo atrasado Etc… A briga começava, eu, o pai, o irmão. E a manhã se iniciava desta forma horrorosa.

Percebe uma mudança sutil no gesto, quando eu só falava sem o tocar ele não despertava, assim ficava sonolento e mais cinco minutos, mais cinco, mais cinco e daí atrasava.

A ação reação acontecia todas as manhãs, um verdadeiro caos!

No decorrer do curso percebi outras atitudes que fazia de forma errada e fui de grão em grão, ajustando nos pequenos gestos.

Neste caso com meu filho, antes de modificar minha atitude, conversei com ele pedi desculpas e falei que iria mudar, precisava de uma mudança dele também para que a paz se instalasse em minha casa, graças a Deus foi o que aconteceu. Um pequeno gesto melhorou nossas manhãs.

Outro fato que me chamou muito a atenção foi com uma senhora que mora perto de minha casa, eu sou uma pessoa sorridente, simpática, sempre fui assim, desde pequena, minha mãe sempre me chamou de solzinho, estas são qualidades que sempre consegui enxergar em mim, pois bem, nem todas as pessoas estão dispostas a se doar para o outro e se tratando de uma pessoa mais velha fica mais difícil, eles precisam de algo mais, se tornam crianças novamente. Essa senhorinha que falo um dia estava presente em uma reunião que tinha com seu genro, ela perguntava coisas fora da reunião, mas eu não me preocupei e dei atenção a ela também, terminamos de conversar e nos despedimos.

Como não há conhecia também meus olhos não á procuravam, passava várias vezes pelo local que ela fica e nunca havia olhado para aquela direção.

Mudei! Todas as vezes que passo pela rua onde ela está na janela, olho e lhe dou um sorriso e um tchauzinho, ela corresponde sorridente. Com o passar dos dias percebi que ela esperava aquele sorriso e aquele tchau, passei a cuidar mais para não deixá-la esperando ou passar e nem olhar para ela.

Hoje quando ela me vê vem correndo, sorrindo me dá um abraço, aqui do sul, e uns tapinhas nas costas com um beijo carinhoso.

Um dia eu estava com meu marido e ela chegou e disse a ele que eu era um tesouro.

Vim pra casa e fiquei analisando o carinho dela comigo. Um pequeno sorriso e um aceno deixaram aquela senhorinha feliz.

Pequenos gestos fazem a diferença no nosso mundo. Eu te convido a começar com pequenos gestos e assim mudar seu mundo.

Vem? Vamos juntas?

Aquele forte abraço de quebrar as costelas e até breve!

Paula Brisotto, esposa, mãe, embaixadora da Escola de Você, microempreendedora individual da área de moda, artesã e escritora/ idealizadora do blog Aprendidavida, blog que nasceu do desejo de dividir para somar minhas experiências como mãe, esposa e também como nova mulher em busca sempre. Não é um manual de como fazer isso ou aquilo, mas sim um alerta dos meus erros e acertos em todas as áreas de minha vida. Sabe esse desejo de querer auxiliar? Pois é, é esse desejo que existe no blog Aprendidavida Falo de coração para coração e desejo ardentemente apenas auxiliar para que você não tropece nas mesmas pedras que tropecei.

Escolete

Eu sou uma aluna da Escola de Você com muito orgulho <3
Você sabia? A Escola de Você traz dicas e cursos online para promover seu autoconhecimento e a autonomia feminina.

7 Comentários

  1. Bruna Peron

    Oi Paula, boa tarde!

    Que texto lindo! Tenho como finalidade de vida sempre dar uma passagem positiva para as pessoas… mas em casa é a mais desafiador, quando encaramos as nossas dificuldade nos nossos relacionamentos pessoais.

    Ótima iniciativa, um beijo!

    Responder

  2. Então Paula, isso me lembra muito um dos cursos da Escola de Você o “Postura de Aprendiz” . não é porque somos mais experientes que o nosso filho, que ele não possa ensinar algo. Já tive esse problema com os meus de acordar cedo, só que no meu caso eu fui mais dura, quando nada adiantou, eu simplesmente, não o chamei naquele dia, e ele perdeu a aula, e a partir daí tomou a responsabilidade de sozinho acordar.

    Responder

    1. Sheila, estou fazendo o mesmo com a minha filha para que ela tenha responsabilidade com seu compromisso com a escola. Combinei com ela que a partir de agora ela terá autonomia e vai acordar somente com o despertador, para isso tem que controlar a hora que vai dormir. Acredito que dessa forma ela pode amadurecer e nós podemos evitamos conflitos. Ela está mais comprometida. Eu tenho dúvidas se essa é a melhor decisão porque acho que educar é um caminho belíssimo, mas com muitas incertezas…

      Responder
  3. Alessandra Assumpção

    Sempre pequenos gestos. Como fazem a diferença.
    As vezes é preciso ver alguém de fora para um alarme piscar e nos concentrarmos nas atitudes que estamos tendo para nos tornarmos melhores.

    Responder

Deixe uma resposta