Muito prazer, sou seu ciclo!

Minha amiga Escolete,

bem-vinda à série “Inteligência Hormonal” do nosso blog.

Ao longo das próximas semanas vamos mergulhar num universo belíssimo: o da natureza íntima de cada mulher.

Vamos entender de que modo os diferentes hormônios produzidos no cérebro, acima dos rins, nos ovários – influenciam o modo como a gente se sente e se comporta. Mas antes de começar é preciso responder algumas perguntas:

POR QUÊ? POR QUÊ? POR QUÊ?

 

  • Tanto se fala em inteligência racional, inteligência emocional, por que ninguém nos ensina sobre os hormônios, estes minúsculos amigos que regem o corpo e a mente da gente?
  • De onde vem a noção de que tudo relativo ao que acontece abaixo das nossas cinturas é feio?

Poderíamos dedicar centenas de páginas a como, ao longo da história, a imagem da mulher foi construída e de que modo isso interfere na sua relação com seu corpo hoje. Mas para chegar logo ao que interessa, vamos ficar com uma explicação muitíssimo simplificada do que as mais diferentes religiões e culturas nos ensinam:

  • mulher é a responsável pelo pecado original
  • o corpo da mulher é “corruptor”
  • sexo é pecado
  • os genitais são fonte de males
  • sacerdotes atribuem à menstruação poderes malignos
  • esta fase do ciclo feminino é um castigo divino para mulher

Não preciso ir mais longe, né? Deu para entender que essa “restrição” que nós mesmas temos ao nosso corpo é o eco do que vem sendo ensinado de geração em geração por muitos séculos, certo?

FAÇA AS PAZES COM SEU CORPO

É difícil a gente apreciar o que desconhece. Não tem como gostar de uma comida que a gente nunca experimentou. Não dá pra gostar de verdade do nosso corpo se a gente não o entende e conhece. Os hormônios estão tocando e nós estamos dançando sem ouvir a música, entende? É como dirigir um carro de olhos vendados. Portanto, a intenção aqui é “apresenta-lá” à magnífica orquestra que faz você acordar hiper solar e extrovertida um dia e totalmente reservada no outro.

A cada fase do seu ciclo, seu corpo é banhado por uma combinação de hormônios que impactam seu comportamento de modo distinto.  Para que você comece sua auto-observação, aqui vai um pouco sobre os principais maestros do seu corpo.

 

ESTRÓGENOS NOS DÃO:

  • disposição: nos sentimos receptivas, ativas e sedutoras
  • persistência: ótimo humor e clareza de pensamento
  • mais vigilância: paladar e olfato mais sensíveis
  • menos apetite
  • mais reação: nada de levar desaforo pra casa

PROGESTERONA NOS DÁ:

  • necessidade de dar e receber atenção
  • incerteza
  • esquecimento
  • sensação de estar gorda
  • desejo por comida
  • menos reatividade: aqui dá pra deixar por menos

Ao longo dos próximos textos vamos tratar de como identificar a falta deles e de que modo podemos com alimentação e hábitos saudáveis entrar em harmonia com este fluxo. Somos seres hormonais e quanto mais entendermos a sinfonia bioquímica que nos guia, mais ferramentas teremos para administrar nossas emoções, trabalho e relações pessoais.

Ao contrário do que muita gente pensa, a central de comando dos hormônios femininos não está no útero ou nos ovários.  A sinfonia acontece em todo corpo. As glândulas no cérebro estão em sintonia com todo seu ciclo.  Aliás, você sabe como funciona o seu ciclo?

MUITO PRAZER, EU SOU O SEU CICLO!

Não sou médica, meninas. Não sou especialista no assunto. Compartilho aqui o que tenho aprendido no meu processo de autoconhecimento e descoberta do meu corpo, na esperança de que estimule você a fazer a sua jornada. O primeiro passo é entender o que acontece dentro da gente para ser capaz de captar os sinais visíveis fora.

Ciclo: período entre o primeiro dia de uma menstruação e a próxima. Para maioria das mulheres são 28 dias, mas a variação é grande. Há ciclos 21, de 30, o meu, por exemplo, tem 36 dias.

FASE 1 – MENSTRUAL

A contagem do seu ciclo menstrual começa no primeiro dia de sangramento. Esta fase, a primeira de quatro no seu ciclo, dura aproximadamente 5 dias.

FASE 2 – FOLICULAR

A fase folicular se estende até o décimo-terceiro dia do ciclo. Sua hipófise , libera um hormônio que estimula as células dos óvulos. Uma delas começa a amadurecer dentro de uma estrutura chamada folículo. A contar do primeiro dia do ciclo (chegada da menstruação) o óvulo precisa de 13 dias para amadurecer. Olha que perfeição de orquestra! Enquanto um hormônio estimula o amadurecimento de um óvulo, outro hormônio trata de estimular o endométrio (camada interna do útero) a desenvolver para receber uma possível gravidez.

FASE 3 – OVULATÓRIA

No décimo-quarto dia do ciclo a hipófise vai liberar mais um hormônio, responsável por fazer o ovário liberar o óvulo maduro. Este é o seu momento fértil <3

FASE 4 – LÚTEA

Esta fase se inicia no décimo-quinto dia e se estende até o final do ciclo. O óvulo maduro fica “prontinho” a espera de fecundação por 24 horas nas suas trompas. Caso não haja encontro com espermatozoide este óvulo simplesmente se desintegra. O endométrio “preparado” recebe a mensagem hormonal de que não há gravidez e se desfaz na forma da sua próxima menstruação.

Pronto!

A meta do dia é familiarizar você com as fases do se ciclo.  Agora, caso você queira entender um pouco mais sobre a série de hormônios trabalha em conjunto dentro de você no seu dia a dia, aqui vai um mini Dicionário de Você Hormonal <3

Não, você não precisa saber pra que serve o hormônio liberador da gonadotropina.  Só precisa saber que é linda a música da sua feminilidade. E se quiser dar uma olhadinha nas notas… Voilá !

Hormônio liberador de gonadotropina (GnRh)

A jornada começa no seu hipotálamo, que fica na meio do seu cérebro e produz o hormônio liberador da gonadotropina (GnRh). É ele que age na sua hipófise, que fica na base do crânio e ativa a produção de outros  dois hormônios: o folículo-estimulante e o luteinizante.

Hormônio folículo-estimulante (FSH)

O FSH chega nos ovários pela sua corrente sanguínea e lá cumpre o papel de estimular o amadurecimento dos óvulos. Ele também é responsável pela produção de estrogênio. E vamos falar muito de estrogênio ao longo das próximas semanas.

Estrogênio

O estrogênio tem muitas funções. Duas delas são:

  1. engrossar a parede interna do útero, o endométrio – o que significa preparar o útero para uma possível gravidez.
  2. afinar as secreções do colo do útero antes da ovulação para facilitar o caminho dos “nadadores” em busca de um óvulo maduro nas trompas;)

Hormônio luteinizante (LH)

Este hormônio cumpre o papel de controlar o amadurecimento dos folículos. É ele que indica quando o óvulo mais maduro deve romper o folículo e sair do ovário.

Progesterona

Depois da ovulação, o folículo de onde o óvulo saiu dá origem ao corpo lúteo. A função dele é basicamente produzir o hormônio que comanda o show na próxima etapa do ciclo: a progesterona.

Espero que esta introdução tenha servido para despertar o seu interesse mergulhar no universo dos seus hormônios, peças fundamentais para seu equilíbrio físico e psíquico.

Beijos e a gente se vê na Escola!

 

*  Natália Leite é co-fundadora da Escola de Você

 

Acesse também a sua escola de crescimento pessoal online aqui 

Natália Leite

Co-fundadora da Escola de Você.
Construindo autonomia e protagonismo feminino.

17 Comentários


  1. Simplesmente amei o texto, o meu ciclo é de 28 dias. Vou começar a observar melhor o que acontece comigo em cada fase. Obrigada por compartilhar conhecimento Nati!

    Responder

  2. Eu estou muito interessada no assunto.
    Esperando os próximos textos.
    Obrigada pelas informações.
    Beijos.

    Responder

  3. Que fantástico, Natália!

    Entender o nosso corpo e o seu funcionamento é o primeiro passo para verdadeiramente amá-lo.

    Você me inspira!!

    Ansiosa pelos próximos textos!

    Um abraço do Sul!

    Responder
    1. Natália Leite

      Sim, minha amiga. Se a gente não conhece, não é amor. Pode até ser paixão ou encantamento… Mas amor se constrói com conhecimento, tempo e dedicação. Concordo 100% com você.

      Responder

  4. Natália, o assunto que você abordou é de extrema importância!
    Para chegarmos ao equilíbrio temos que conhecer tudo o que ocorre conosco, e é alarmante que muitas mulheres entram em depressão por não compreender esse ciclo hormonal que tanto afeta nosso corpo e mente.

    Quando entrei no climatério, por exemplo, fiquei confusa com o que ocorria comigo. Um turbilhão de conflitos e emoções, e minha imunidade oscilava também. Meu trabalho é essencialmente intelectual e o pior aconteceu: problemas de memória constante, as palavras fugiam de meu cérebro em uma conversa.

    Pedi demissão de meu emprego pois me senti inútil. E eram simplesmente a queda hormonal que estava me pregando peças.

    Responder
    1. Natália Leite

      Wania, querida! Que relato importante. Por favor, escreva sobre isso aqui para o blog. Tenho CERTEZA que vai ajudar muita gente. Topa? Bj grande.

      Responder

  5. Amei esse assunto, descobrir mais sobre essa “gente” que mora dentro da gente! Bjs… parabéns!!!

    Responder

  6. Já percebi há algum tempo que meus humor muda durantes o mês e depois da menstruação parece que tudo melhora. Achei que era doida….kkkkk. Mas vejo que não. Obrigada Natália. Espero ansiosa para aprender mais sobre isso.

    Responder
    1. Natália Leite

      Oi Sarah, olha que legal! Como conhecimento salva, né? Vou adorar ler seus relatos sobre sua percepção de si mesmo aqui no blog depois 😉

      Responder

  7. Caramba.. lendo o texto me dei conta do quanto eu não sei nada do meu ciclo! Dá até vergonha admitir, mas é a verdade.
    Baixei um app chamado Maia, indicado por outra escolete e que te me ajudado a perceber um pouco mais o que tem acontecido. Como ainda estou no primeiro mês, ainda nem consegui anotar tudo, mas sei que vou chegar lá!

    Quantas vezes não nos julgamos malucas por todas as mudanças que acontecem dentro!

    Obrigada por compartilhar conosco esse assunto Nat!
    Vou ficar de olho no meu ciclo e tratar de aprofundar meus conhecimentos!

    Responder

  8. Caramba! Lendo o texto me dei conta de que não sei nada sobre o meu ciclo! Dá até vergonha de admitir, mas é a verdade.

    Quantas vezes não nos sentimos malucas, diferentonas, estranhas e nem sabemos de onde vem. E importantíssimo nos atentarmos a isso e como tudo que consumimos, seja pro corpo ou seja pro intelecto, é questão de escolha e impacta diretamente em todo o nosso ser. Cabe iniciar o quanto antes a mudança de hábitos! E prestar mais atenção ao que o corpo diz!

    Estou usando um app chamado Maia, indicado por outra escolete e tem sido uma experiência bem legal, ainda mais pra mim que nem me atentava ao que acontecia! Espero daqui um tempinho olhar as informações que coloco nele e compreender um pouco mais o meu ciclo!

    Obrigada Nat por compartilhar esse conhecimento conosco!

    Responder

  9. O texto terminou e eu querendo ler mais e mais.
    Esse conceito de amor pelo corpo é perfeito, abre uma reflexão, seguida de uma vontade de ação continua.
    Obrigada por compartilhar esse conteúdo de maneira tão objetiva e cativante.

    Responder

Deixe uma resposta